algodao_pluma
05/03/2021 10:45 • Notícias
Questões macroeconômicas e monetárias dos EUA faz mercado do algodão oscilar

Nesta sexta-feira, 05 de março, a Abrapa, Associação Brasileira dos Produtores de Algodão publicou mais um Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa, com as principais notícias do mundo do algodão.

O documento inicia-se com informações sobre o mercado internacional do algodão, que vem oscilando, principalmente por fatores macroeconômicas e monetárias dos EUA.

Em NY a semana foi de muita volatilidade devido a questões macroeconômicas dos EUA.  Após o fechamento em queda na semana passada, as cotações se recuperaram na segunda, mas depois cederam nas sessões seguintes, fechando a semana no negativo.   O contrato Jul/21 fechou nesta quinta cotado a 88,13 U$c/lp, queda de 2,5% na semana.

Assim como parte significativa dos ganhos recentes do mercado foi atribuída às questões macroeconômicas e monetárias dos EUA principalmente, a reversão dos últimos dias também foi atribuída aos mesmos fatores.

Esta semana comentários do presidente do Fed, Jerome Powell, deram a entender que a inflação pode aumentar nos EUA com a reabertura da economia. Sua fala fez com que os juros dos títulos do tesouro dos EUA (Treasuries) subissem, o que, por sua vez, fez o dólar americano subir ainda mais. Moeda mais forte é negativo para as exportações.

Já na semana que vem (9/março) o USDA divulgará seu relatório mensal global de oferta e demanda de commodities.  Há expectativa de nova redução dos números da safra americana e aumento na previsão de exportações do país.  Estas revisões podem colocar os estoques finais americanos de 20/21 nos menores níveis desde 16/17.

- Plantio - Logo após o término do plantio da safra 20/21 no Brasil, é iniciada a temporada de plantio da safra 21/22 no Hemisfério Norte.  O plantio já está no seu início no Paquistão e EUA (Sul do Texas e Arizona), enquanto na China já iniciaram as irrigações pré-plantio em Xinjiang.  Os números finais do plantio 21/22, principalmente nos EUA, serão cruciais para o futuro dos preços internacionais.

Fonte: Ampasul