reuniaozabrapazcomzministrozblairozmaggi_p
21/07/2016 17:32 • Notícias
Parceria entre setor privado e governo visa abrir novos mercados para o agronegócio

Nesta quinta-feira (21), a Abrapa esteve junto com representantes dos diversos setores do agronegócio, com o Ministro Blairo Maggi e outros atores do governo, para discutir acerca do PAM (Programa de Acesso à Mercados).

O programa trata-se de uma iniciativa que visa unir o Governo e as entidades do agro brasileiro com foco em: adentrar a novos mercados, melhorar a imagem do agronegócio brasileiro e promoção comercial. “É um modelo que nossos principais concorrentes (EUA, EU, Canadá, Austrália, Chile) possuem vasta experiência e ótimos resultados com programas de coordenação público-privada.

O setor do Agro brasileiro depende de acesso a mercados para poder expandir a sua produção e, ao mesmo tempo, adicionar valor às mercadorias exportadas pelo setor”, comenta João Carlos Jacobsen, presidente da Abrapa.

O Ministro Blairo Maggi abriu a reunião reconhecendo que o atual sistema de representação comercial do Brasil no exterior é pouco eficiente, e que, em geral, o país é pouco persistente na busca de conquistar e garantir o acesso a mercados. “Hoje o Brasil participa com 7% do mercado internacional de grãos, fibras e commodities, e a proposta do projeto é aumentar essa participação para 10%”, revela Jacobsen sobre o PAM.

Para que isso aconteça, Jacobsen indica a necessidade de aumentar a produção rapidamente. “O governo reconhece que o setor produtivo tem capacidade de produzir muito mais, pois domina as tecnologias, e o Brasil ainda tem muitas terras inexploradas que poderiam ser incorporadas ao processo produtivo sem nenhuma ameaça ao meio ambiente”, pontua ele.

A reunião mostrou que as exportações no Brasil também precisam de um avanço. Hoje, o Brasil exporta USD 88 bilhões e o intuito do projeto é expandir as exportações em mais USD 75 bilhões. “Apresentamos na reunião o exemplo da cadeia da Abrapa que, ao longo de 15 anos, conquistou posição de destaque nas exportações mundiais.

Tudo graças a uma iniciativa própria dos produtores de algodão, que saíram pelo mundo afora em missões muito bem organizadas, para encontrar os compradores e aumentar a exportação da fibra brasileira”, destaca Jacobsen.

Novos Mecanismos

O ministro salientou a necessidade de se criar mecanismos para o Brasil participar com mais eficiência no mercado mundial. “Não podemos mais ser dependentes de poucos compradores sob o risco de sermos barrados por barreiras econômicas e sanitárias devido à guerra de mercado instalada”, enaltece Blairo Maggi.

O Ministro Roberto Jaguaribe, Presidente da APEX, também presente na ocasião, esclareceu que a iniciativa do PAM nasceu de uma parceria entre a APEX e o Mapa, visando a captação de novos negócios para o Brasil e a promoção comercial do produto brasileiro.

De acordo com o Ministro Jaguaribe, o setor do Agro brasileiro é o que apresenta o maior potencial de crescimento e uma parceria entre o governo e o setor privado poderá viabilizar as metas de crescimento estipuladas.

O Governo se comprometeu em fornecer um pacote geral de contribuições para construir com os setores das diferentes cadeias as formas para que esses produtos possam ser mais competitivos e eficientes. “Um dos grandes avanços que tivemos foi a promulgação do Código Florestal Brasileiro, nos deu credibilidade internacional e respeito por todo o mundo”, diz o presidente da Abrapa.

O ministro Jaguaribe fortalece esse discurso de promoção das ações brasileiras. Segundo ele, o que falta é levar essa informação de forma clara para o mundo todo. “Temos que ter nessa nova regra ambiental o carro chefe para entrar com os nossos produtos nos mais exigentes mercados mundiais”, esclarece Jaguaribe.

Apoio e próximos passos

Após as falas e discursos do governo, os representantes das diferentes cadeias produtivas se pronunciaram apoiando a iniciativa. “É de grande importância que as entidades se unam em prol de novos mercados para o produto brasileiro e a expansão daqueles que já temos uma participação.

Devemos ressaltar o investimento e o apoio do governo no agronegócio brasileiro que só contribui para a melhora do produto brasileiro lá fora e para o desenvolvimento do país”, finaliza Jacobsen.

O organograma do Projeto prevê que se realizem reuniões individuais com representantes das diferentes cadeias a partir do dia 28/29 de Julho. As reuniões gerais para finalizar a proposta e obter a aprovação do Projeto, devem ocorrer no final de Agosto.

 

Fonte: ABRAPA