armadilhazparazcapturazezmonitoramentozdozbicudo
Armadilhamento para captura e monitoramento do bicudo
26/10/2016 17:55 • Notícias
MS poderá manter área de algodão na próxima safra

O Programa Fitossanitário da AMPASUL, Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão publicou mais um relatório.

 

Aponta o documento informações técnicas relevantes para os produtores, neste momento de vazio sanitário e planejamento da próxima safra. O vazio sanitário do algodão para a região norte e nordeste de Mato Grosso do Sul, maior produtora do fio no estado termina em 30 de novembro.

 

A safra passada, 2015/16 a produtividade do algodão segunda época ficou prejudicada, segundo os engenheiros da AMPASUL, em virtude de um período de estiagem na fase reprodutiva das lavouras. A maior queda foi registrada em Chapadão do Sul, que fechou uma média de 151@/ha, considerada baixa. Já o algodão de verão, fechou em 250@/ha.

 

Até o final do atual vazio sanitário, o produtor deve monitorar a infestação do bicudo, principal praga da cultura, nas áreas onde o algodão será semeado. A AMPASUL contribui com os produtores, fornecendo armadilhas, feromônio e orientação técnica para o controle daquela praga e de outras.

 

A AMPASUL distribui um folheto com orientações técnicas sobre o armadilhamento, mais um mecanismo utilizado para orientar o produtor sobre este importante mecanismo para monitoramento da praga nas áreas onde será semeado o algodão.

 

Segundo o relatório, a área de algodão deverá sofrer uma pequena queda, mas ressalta que o no Município de São Gabriel do Oeste, os produtores ainda não decidiram se cultivam. Naquela região é indicado apenas o algodão segunda época, que é subsequente à soja colhida em janeiro.

 

Pela estimativa da AMPASUL, até o momento estão programados o cultivo de 28.835 hectares, queda de 2,9% em relação à safra passada, mas depende ainda da decisão dos cotonicultores de São Gabriel do Oeste para fechar o número exato.

 

Mesmo com a redução da produtividade, os cotonicultores da região nordeste estão semeando soja precoce para plantarem, na área, o algodão segunda época, durante o mês de janeiro, antes da data limite de semeadura, estabelecida por lei que é no dia 31 daquele mês.

 

No sul do estado, onde o ciclo é diferente, assim como a legislação, já há lavouras semeadas com algodão verão, que estão em fase de germinação.

 

Clique aqui e veja o relatório do Programa Fitossanitário na íntegra.

 

Fonte: AMPASUL (Norbertino Angeli)