algodao_img_7256
16/01/2021 07:00 • Notícias
Mapeamento da qualidade do algodão ajuda produtores

Estudo foi feito nos EUA

Equipamentos modernos de colheita de algodão podem identificar e rastrear módulos criados durante a colheita até o subsolo. Combinando esses dados com informações como mapas de produção e resultados de qualidade da fibra, os produtores podem identificar práticas, condições e variedades que resultam em maior qualidade da fibra e valor do fardo, afirmou a American Society of Plant Pathology.

No novo webcast "  Mapping Cotton Quality  ", Jason Ward, professor assistente da North Carolina State University, relata as descobertas de um projeto que mapeou a qualidade da fibra de algodão  para determinar como as práticas no campo podem afetar a qualidade da fibra cultivada. O objetivo inicial era a rastreabilidade: como identificar de onde um módulo específico veio e como isso afetou a qualidade da fibra. Mas ter a solução de rastreabilidade em vigor forneceu uma oportunidade para determinar a sustentabilidade da fibra e considerar o que os produtores estão fazendo para reduzir seu  impacto ambiental  e melhorar a saúde do solo.

Ao compreender como as práticas ambientais e de campo se combinam para criar fibra de boa qualidade, os produtores podem decidir a melhor forma de maximizar a lucratividade. Além disso, os produtores podem usar dados gerados pela agricultura de algodão de precisão para fornecer aos clientes as informações que eles esperam sobre o algodão que usam, como qualidade da fibra, valor do fardo e outras métricas de sustentabilidade.

Esta apresentação de 18,5 minutos está disponível gratuitamente através do recurso “Focus on Cotton” no Grow: Plant Health Exchange. Este recurso contém mais de 100 webcasts, com apresentações de uma série de palestras, sobre uma ampla gama de aspectos do manejo da cultura do  algodão  : práticas agronômicas, doenças, colheita e descaroçamento, insetos, irrigação, nematóides, agricultura de precisão, saúde solo e colheitas. fertilidade e ervas daninhas.

Fonte: Agrolink