126d2bdd_a3cd_4c3f_a3c9_061e83aad4a3
22/05/2020 00:00 • Notícias
Ampasul debate controle de pragas nas lavouras de MS

Nos dias 19 e 21 do mês de maio foi realizado mais uma reunião do GTA (grupo de trabalho do algodão) nas regiões norte e nordeste do estado, onde reuniram representantes de propriedades dos municípios de Cassilândia, Chapadão do Sul, Costa Rica e Alcinópolis.

O objetivo da reunião foi promover a interação das atividades técnicas entre as propriedades, levando em consideração o manejo, principalmente do bicudo do algodoeiro que foi uma das principais pautas dessa reunião. A Ampasul através de levantamento de campo feito pela equipe técnica, apresentou o número de aplicações e produtos utilizados para o controle dessa importante praga do algodoeiro.

Os representantes tiveram oportunidade de discutir o manejo feito por cada uma das suas respectivas propriedades e também travar ações para o final da safra, levando em consideração a pré e a pós colheita. O grupo dos dois núcleos fizeram um acordo de cooperação entre as propriedades, sobre o manejo da safra 19/20 para o controle da praga, travando algumas aplicações de final de ciclo importantes para baixar a população do bicudo, já pensando na próxima safra.

Outro ponto apresentado foi em relação ao armadilhamento pré colheita, que acontece agora no final do mês de maio, com intuito de avaliar o fluxo da população de bicudo nas lavouras que estão se preparando para colher. A população de bicudo é avaliada a partir do índice do BAS (bicudo por armadilha semanal), onde a Ampasul integralmente vai avaliar e disponibilizar informações através de aplicativos e de meios de comunicações existentes, compromisso esse, que foi definido no GTA. O armadilhamento colheita, acontece num volume de área de 10 a 20 % do algodão safra plantado.

Além disso foram tratadas demandas de campo, para melhor estratégia na operação de destruição de soqueira do algodão e tiguera de algodão na cultura da soja, gargalos que comprometem a sustentabilidade do algodão no estado. O GTA contou com a participação da Fundação Chapadão, onde os pesquisadores Alfredo Riciere e Gemerson Tomquel relataram a visão da pesquisa sobre os assuntos das suas respectivas áreas de atuação, contribuindo com informações importantes para o grupo do GTA.